domingo, 16 de janeiro de 2011

Nissan Juke



Ontem descobri o novo “crossover” da Nissan – o Nissan Juke. Deixem-me efectuar apenas um pequeno parênteses para questionar o seguinte: o que é um crossover? Estive a investigar um pouco e pelos vistos o crossover foi inventado quando pedaços de um SUV que andavam pelo monte a fazer crosse (“Cross”) sobem para cima (“over”) de um automóvel ligeiro. No final temos um carro, mais alto que afinal já não é um carro, mas sim um crossover e ao mesmo tempo não é um SUV. O que interessa mesmo perceber é que tudo isto não passa de uma estratégia de marketing que permitiu às marcas de automóveis criarem gamas de produtos diferentes sem criarem novas peças. Normalmente o design destes produtos é deixado ao cargo dos filhos com menos de 5 anos dos designers enquanto brincam com réplicas de todos os produtos das marcas e nos resultados podem aparecer coisas como este Nissan Juke.

Vejam mais algumas fotos do Juke:





Voltando ao tema… O Nissan Juke nasceu do conceito Qazana (Canzana em português) que foi descrito como “um Crossover 4x4 tão emocionante de conduzir como um Buggie”. Nem a própria Nissan conseguia nessa altura descrever o que isto poderia ser… é quase como dizer: umas calças de praia tão divertidas de vestir como um cachecol. Ou se preferem uma comparação mais culinária: um cozido à portuguesa grelhado tão divertido de comer como um copo de água.

Vejam algumas fotos do Nissan Qazana:







A primeira coisa que me saltou à vista ontem quando vi um pseudo-carro destes foi a quantidade de ópticas que aquilo tem: umas à frente como os carros, outras no para-choques e outras ainda na parte superior do capot. Todas estas luzes devem gastar bastante e a prova disso poderá estar no facto de eu ter conseguido descobrir que a Nissan está a pensar oferecer um Nissan Leaf a todos os clientes que adquiram um Juke, para servir de bateria extra (e para resolver a falta de vendas que o carro eléctrico está a ter). Outra coisa que me veio à mente instantaneamente foi a similaridade do Juke com os buggies do Rali Paris-Daqar que agora se realiza na Argentina e no Chile.

A terceira e última coisa que me passou pela mente foi a necessidade de atribuir um novo nome ao “carro” e como tal, sugiro que passe a chamar-se “Nissan Joke”. Nome este que me parece ser muito mais apropriado para descrever a anedota que a Nissan lançou para o mercado.

4 comentários:

Anónimo disse...

Vê-se logo que não percebes nada de carros.
Só as caixas cinzentas é que são lindas para ti!

AindaPiorBlog disse...

E com base no teu comentário, posso concluir que já somos dois... mesmo tendo tentado explicar no post, que este Nissan Juke não é um carro, mas sim um crossover.

Em relação às caixas cinzentas, algumas delas até são bem giras.

Agradeço o teu comentário e espero que voltes em breve.

Alfredo disse...

Penso que deves olhar para o carro como futurista, não nos devemos deixar intimidar pela inovação, na minha opinião o carro é muito bonito tem umas linhas elegantes mas agressivas

Anónimo disse...

Adoro este carro foi o melhor que Nissan criou anda para aí muito tontinho que não sabe o que é um carro devem ser daqueles que gostam das caixas cinzentas vocês teem é muita inveja. Florbela Lopes