sábado, 3 de março de 2012

Regar Quanto baste



No outro dia passei por Ponte de Lima e decidi tomar um pingo directo numa tasca. E enquanto esperava que me atendessem, olhei pela janela e vi uma velhota a regar uns vasos que tinha na varanda. À primeira vista nada de especial me chamou a atenção, mas na segunda olhadela reparei que a senhora não tinha um regador, mas sim uma embalagem de amaciador da roupa da marca Quanto. Foi então que fiquei mais atento e reparei que não existia qualquer flor ou planta nos vasos, mas em lugar disso existia terra e uma ou duas ervas daninhas, mas por incrível que pareça a senhora com esta técnica fazia com que a sua varanda cheirasse a rosas na mesma. Das duas, uma: ou a senhora, devido à idade avançada e por ser enganada pelo cheiro a rosas, não via que as rosas tinham morrido há muito e que em lugar de um regador, utilizava era a embalagem de amaciador; ou fazia de propósito já que, mesmo sem se preocupar muito se os vasos tinham ou não plantas, com esta estratégia, conseguia ter sempre um aroma a flores refrescante (com a vantagem de poder trocar de aroma sem sequer mexer nos vasos, bastando para isso, trocar de amaciador). Seja como for, as ervas que lá tinha, para além de cheirarem bem, estavam também limpinhas e macias como roupa acabada de lavar. E para isso só tinha de as regar “Quanto” baste.

Se pretenderem adoptar estratégias parecidas, ficam aqui mais algumas marcas de amaciador que poderão utilizar para regarem os vossos vasos ou jardins, dependendo dos resultados pretendidos:



  • Vernel – Para aquelas pessoas que gostariam de ver nele (no vaso) uma qualquer planta ou flor;
  • Confort – Para regar com conforto;
  • X-TRA – Para regar aqueles vasos ou jardins cujas ervas daninhas exigem água extra;
  • Norit – Para regar feno e erva de pasto;
  • Xau - Para regar apenas a vegetação que gosta, dizendo xau à restante;
  • Skip – Para regar vasos de forma alternada.
Para além de inovadora, esta ideia da velhota de Ponte de Lima tem ainda um carácter ecológico, já que conseguiu reutilizar uma embalagem de plástico vazia que de outra forma iria para o lixo ou para o Ecoponto.

3 comentários:

tétisq disse...

São rosas senhor,são rosas...*

mfc disse...

Tens a certeza que era em Ponte de Lima... ou seria no Júlio de Matos?!

carlosapo disse...

Poderia ser uma embalagem já vazia, a qual ela usa para meter àgua e regar as plantas.(podera ter semeado sementes que ainda não nasceram.