sexta-feira, 23 de janeiro de 2009

Amarar no rio Hudson



No outro dia, um piloto de um avião comercial "amarou" num rio em lugar de aterrar numa pista. A comunicação social disse duas coisas que me deixaram intrigado: a primeira foi que ele tinha amarado no rio e a segunda que o piloto era um herói. Vamos lá tentar perceber o porquê da minha reacção.

A palavra “amarar” parece-me estar relacionada com a palavra “mar” e não com a palavra “rio”. Posso concluir então que esta palavra deva ser utilizada quando alguém consegue pousar na água do mar com um avião e não num rio. Na minha opinião, a palavra “arriar” seria muito mais apropriada neste contexto porque, por um lado sugere a palavra “rio” e por outro lado está relacionada com o deixar cair coisas na água. Recordemos agora aquela expressão bastante utilizada no meio científico e académico: “Arriar o calhau”. Esta frase deve ser utilizada quando algo corre mal nos intestinos, ou seja, há merda, e a resolução passa por deixá-la cair na água da sanita. Neste caso, algo correu mal com os motores que não funcionaram bem enquanto os pássaros eram triturados pelas hélices (houve merda nos motores) e a resolução passou por deixar cair o avião na água do rio. Fica então muito melhor a frase: “O piloto arriou no rio Hudson”.

Passemos agora para a segunda coisa que me deixou intrigado. O piloto foi considerado um herói porque não morreu ninguém enquanto ele fazia o trabalho dele. Tanto quanto sei, quando um piloto comercial faz o trabalho dele bem feito, deve ser usado o termo “piloto” e não o termo “herói”. Para aqueles que não perceberam o meu ponto de vista, deixo aqui mais alguns exemplos da má utilização do termo “herói”:
  • Um carpinteiro fez uns roupeiros de madeira e virou herói!;
  • Um pintor pintou uma moradia por dentro e por fora de cor branca e não houve qualquer vítima. É um herói!
  • Eu sou um herói porque escrevi mais um texto mau no AindaPiorBlog e não houve baixas.

Olhando para a foto seguinte, da tal “amaragem”, o resultado até nem foi assim tão bom. O piloto teria feito melhor trabalho se tivesse aterrado numa pista.


1 comentário:

Donnola disse...

tá bem tá ou devia dizer tás pior tás?